Dicas para Princesas

terça-feira, 5 de junho de 2012

     Oiee Pessoal como estão?Eu estou Bem,fiquei só um pouquinho Ausente,Mais já estou  de volta,Como vcs sabem eu Adoro Princesas,Mais toda Princesa precisa ce comportar como uma Princesa,Separei Algumas Dicas pra vcs



As roupas que as pessoas usam se classificam em pelo menos seis categorias de luxo, elegância, e conforme o uso e os cuidados que merecem:1. O traje a rigor para os eventos em que é solicitado (vestidos de baile, casaca, smokings, etc.) .2. O traje social para cerimônias, por exemplo, nos casamentos.3. O traje esporte fino para fazer compras em shopping e ir ao restaurante de classe ou a um cinema.4. O traje de trabalho, se não é um uniforme.5. O traje esportivo informal, de praia e jogos, ou com que fazem as compras em supermercados; e finalmente,6. As roupas de uso doméstico, que trocam quando vão sair de casa.Estas categorias ainda se subdividem conforme as estações do ano, em pelo menos duas, inverno e verão.Escolher as peças para esse elenco de categorias não pode ser fácil, mas a razão para que seja feita com cuidado é bem simples: o modo como nos apresentamos interessa à nossa auto-estima, e mostra respeito pela auto-estima dos outros. Essa razão é suficiente para que a matéria seja objeto das disciplinas Boas Maneiras e Etiqueta.Ao vestir-se, a pessoa deve considerar sua idade e o seu físico, e combinar a cor da roupa com a cor dos seus cabelos, da sua pele e dos acessórios que usar. A palavra umi-sexo aplicada ao vestuário nunca logrou firmar-se ou mesmo fazer sentido. No vestuário feminino evitar padronagens com coloridos ralos, de pouca tinta, ou estamparia de desenho muito graúdo (grandes retângulos, grandes círculos, grandes folhas, etc.).A moda. Consciente das linhas da última moda, logo que as novas criações são lançadas nos países da alta costura, a mulher precisa levar em conta o quanto vai chocar as pessoas que ignoram esses lançamentos.Os caprichos da última moda sempre parecem, inicialmente, extravagância e mau gosto; é quase uma consideração para com as pessoas não ser muito vanguardeira e procurar modelos que representem uma transição. Assim aconteceu com a moda da mini saia. Enquanto algumas adotavam radicalmente o novo corte, mulheres mais ciosas de sua posição e elegância apenas encurtaram as saias adotando a tendência, sem extremismos. Quando Jorge Armani desestruturou os ternos masculinos fazendo-os parecer sacos pendurados à cintura ou jogados sobre os ombros, a maioria dos homens elegantes apenas adotou manequins mais folgados, sem abandonar as linhas retas clássicas. Quando Le Verre criou os copos para vinho bojudos em excesso e com pés de um palmo de comprimento, de modo que não precisavam ser levantados pois já estavam acima do queixo do comensal à mesa, houve frequentadores de restaurantes que pediram ao garçom a troca das peças, preferindo o tamanho clássico, até que começaram a ser fabricados os medianamente maiores, sem os exageros do lançamento. Por isso me parece que o melhor é seguir a moda só depois que estiver bem assente ou bem aceita, e assim mesmo, com moderação.Acessórias. Tipos de vestimenta ou de objeto que cumprem uma função adicional e complementar com a roupa. Contam-se como acessórios permanentes sapatos, cintos, suspensórios, meias, lenços, e gravatas. Contam-se como acessórios ocasionais o sobretudo, os pulôveres, xales, luvas, uniformes de trabalho, jalecos, macacões, chapéus, bolsas, etc. Essas peças devem guardar relação de cor e consistência com as roupas que complementam, e serem tratadas com os mesmos cuidadas. No seu uso deve ser observado tudo que for pertinente a Boas-maneiras e Etiqueta. Por exemplo: o homem não entra numa sala vestido com capa de chuva ou sobretudo, e guarda-chuva na mão. Deixa esses acessórios no vestíbulo, a um canto, se não houver um móvel ou cômodo para esse fim. O mesmo no teatro ou sala de concerto, a menos que não haja chapeleiro com um funcionário para dar a senha.Uma bolsa feminina ou uma pochette masculina complementam e são como extensões dos bolsos; o cinto um recurso de ajuste da roupa ao corpo, os sapatos um reforço à proteção dos pés, etc. O chapéu masculino e feminino são complementos que assumiram as funções dos capuzes. Por sua vez, o guarda-chuva, ou guarda-sol, substitui ou complementa o chapéu. Jalecos, usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer durante o trabalho. Os suspensórios são pouco usados atualmente, e as calças vêm com alças para os cintos. Se o homem prefere manter as calças em posição com o uso de suspensórios, deve usar um cinto folgado para ocupar as alças, ou então mandar removê-las, ou encomendar calças a um alfaiate, sem esse detalhe.Jalecos. Usados em consultórios, hospitais, laboratórios e oficinas, os jalecos não interferem na vestimenta, exceto por dispensarem o paletó ou o blazer durante o trabalho.Jeans. Os jeans nunca deixam de trair suas origens; ficam melhor para o trabalho no campo, no quintal, ou no jardim e nas oficinas. Fora desse ambiente “rural” não ficam lá muito bem. No entanto, de tempos em tempos os estilistas conseguem fazer com que se tornem moda, principalmente entre as mulheres magras.Meias. Não se usam meias claras ou brancas com sapatos escuros. As meias nunca devem ser de cano curto, pois deixam parte das pernas à vista quando o homem se senta.. As meias compridas para a mulher são um acessório importante para a elegância, desde que não sejam espessas e chamem atenção como se fossem meias ortopédica.Roupa, sapatos e bolsa de cor branca devem ser evitados nos meses frios ou nos dias chuvosos.Constrangimentos. Acontecem em circunstâncias que não são raras: quando duas pessoas se apresentam em um evento com roupas iguais, quando se esquece uma etiqueta de marca visível, p. ex.. Não é menor o embaraço resultante para uma mulher, quando não cuida em saber o tipo de roupa requerida, e se apresenta com um traje próprio para um coquetel elegante, e todos os demais usam roupas informais ou algum traje temático de que ela não foi avisada.Brindes. Brindes devem ser feitos apenas após a chegada dos convidados principais, ou da maioria deles, estando presente o convidado de honra e, evidentemente, o homenageado. Uma pequena introdução é feita compreendendo o convite ao brinde, e a referência ao homenageado e ao motivo do brinde.


Aquele que vai brindar fica de pé e convida os demais convivas a se porem também de pé. Não havendo esse convite - o qual geralmente não é feito nas cerimônias íntimas -, todos os demais podem permanecer sentados e, terminadas as palavras do brinde, apenas erguerem a taça antes de beber. Não é necessário que se toquem as taças em recepções de cerimônia, estas podem ser apenas erguidas até duas vezes consecutivas, a primeira na direção daquele que propõe o brinde significando concordância com a homenagem, e a segunda na direção do(s) homenageado(s), se estiver presente. Mas pode cada convidado tocar a taça do que está à sua direita e à sua esquerda.O brinde é um pronunciamento breve. Na verdade, um brinde de cinco minutos já é muito. Um exemplo simples: Erguendo-se de seu assento, e no momento oportuno, você diz: "Desejo propor um brinde em homenagem ao casal X e Y, augurando-lhes uma vida matrimonial sempre favorecida pela Providência com uma plena felicidade e a realização de suas mais altas aspirações. Saúde!" Enquanto falar, divida seu olhar entre o homenageado e os demais convivas.O brinde a um casal por ocasião do noivado pode ser conduzido com as seguintes palavras: "Amigos", ou "Senhoras e Senhores". Vos convido a encherem os seus cálices (dê tempo a que o façam), levantarem-se (espere que a maioria esteja de pé) e beber comigo um brinde a (nomes), pela sua felicidade na vida matrimonial que aspiram e que se prometem. Saúde e muitas Felicidades!". Erguendo os copos todos dizem: "Saúde!".Brinde mútuo. É comum os recem-casados brindarem-se mutuamente, e tradicionalmente fazem o brinde entrelaçando os braços, como na Fig. 2. Este brinde antecede a qualquer outro. V. tb. A pessoa ou o casal, ou o grupo de pessoas que são homenageados com o brinde não se levantam nem bebem no momento em que os demais bebem em sua honra. Depois de dar tempo a todos que desejarem se manifestar, os homenageados ou um deles falando em nome dos demais pode pôr-se de pé e agradecer com algumas palavras, as manifestações recebidas. Se é homenageada uma pessoa idosa, basta simplesmente um gesto seu, como inclinar a cabeça em agradecimento ao tempo de cada manifestação, voltando-se na direção de quem a saudou e das pessoas que responderam ao brinde em ambos os extremos da mesa.
Fig. 2
Brindes e discursos descontraem os convivas quando são feitos em linguagem simples e objetiva, e são bem humorados - algumas pessoas têm especial talento para introduzir uma anedota no contexto de suas palavras - desde que não sejam demasiado longos. Ao contrário, se fatos tristes são lembrados, o ambiente torna-se pesado e o brinde ao final fica bastante sem graça.Se você faz um almoço especial para comemorar as boas notas de seu filho na escola, não levante um brinde "às boas notas" mas um brinde ao Joãozinho, pelas boas notas que teve, porque o brinde é em honra de pessoas, e não de coisas ou fatos.Não é bom que se repita um brinde ao mesmo homenageado, pelo mesmo motivo e no mesmo evento. É aceitável, porém, que se faça, se no primeiro brinde foi esquecido algum aspecto pelo qual o homenageado deveria também ser brindado. Não sendo este o caso, seguem-se breves discursos cujo fecho são palmas, e não novos brindes. Por exemplo, após as palavras do pai e o brinde na festa em homenagem ao Joãozinho, porque naquele ano conseguiu ser o melhor aluno da turma, é possível que seu padrinho ou um tio que o admira também queiram elogiá-lo. Neste caso, não é necessário novo brinde. Palmas, iniciadas pelo orador após as suas palavras, e seguidas pelos demais convidados, substituem o brinde.Discursos são peças de oratória mais complexas que os brindes, não apenas quanto à estrutura e extensão do seu pronunciamento, mas também porque exigem a observância rigorosa de um protocolo. Ao iniciar, o orador deve citar corretamente as pessoas gradas e autoridades presentes, na devida ordem de precedência, assim como também deve observar a ordem de importância dos tópicos a que alude. No caso do brinde isto é dispensável, e aquele que vai propor o brinde pode começar apenas com um pedido de atenção a todos os presentes, inclusive com o som do toque de um talher em um copo de cristal.Discursos longos são próprios para uma solenidade (cerimônia oficialmente promovida pela sociedade através de um seu representante, ou por uma instituição, um grupo ou uma corporação)Um discurso não muito extenso pode ter por fecho um brinde (discurso-brinde). Mas se o discurso é longo, deve esperar pelas palmas e o brinde será proposto separadamente, após pequena pausa, se já não tiver sido realizado antes.Ao falar em público a pessoa deve de antemão saber como vai terminar seu discurso; precisa ter um fecho decorado, caso contrário ficará sem saber como concluir e poderá ficar completamente embaraçada, precisando que alguém a socorra pronunciado o encerramento em seu lugar.Discurso-brinde. Um brinde não é um discurso, porque é breve, mas pode funcionar como fecho de palavras de elogios, curtas referências biográficas, breve história de um empreendimento ou de um projeto, conforme for o motivo da celebração, incorporando, assim, características do discurso e do brinde. Se a intenção é um discurso-brinde, aquele que vai pronunciá-lo deve ter sua taça preparada, servida da chamapagnevinho, ou outra bebida com que vai brindar. Porém, como dito acima, se o discurso é longo, deve esperar pelas palmas e o brinde será proposto separadamente, após pequena pausa.
Bebida obtida pela infusão das bagas torradas e moídas do café, apreciada pelo sabor e pelo efeito estimulante que produz, devido à substância cafeína (tipo cocaína) que contem. É praticamente universal o hábito de tomar café. A infusão é mais diluída, quando o café é para ser tomado em uma xícara média ou grande; e é mais concentrado, em uma xícara pequena (demitasse), quando é buscado um efeito de estimulação mais imediato.
O cafezinho, devido aos efeitos benéficos do café, é um complemento que muitos consideram indispensável em uma refeição. O que faz o café importante ao término de uma refeição é, primeiro, o seu efeito sobre as glândulas do aparelho digestivo. Ele provoca a superprodução de suco gástrico e isto facilitará a digestão depois de um almoço copioso. Em segundo lugar, combate a sonolência que a digestão tende a provocar, e estimula a ConversaçãoÉ também ideal para oferecer a um visitante, se este manifesta que a visita será breve. Haverá de lhe causar bem estar e a sensação de que, apesar de curta, a visita foi prazerosa. Pode ser oferecido com licor adicionado à xícara, para os que apreciam a mistura. É um gesto de deferência a anfitriã servir ela própria o cafezinho às visitas ou aos convidados, o que ela tem melhor oportunidade de fazer quando estes são em pequeno número. O café é ainda mais importante quando servido durante reuniões de trabalho, devido a aumentar a comunicabilidade, facilitando ao indivíduo tornar-se mais comunicativo.

Deixar garrafas de café para que os convidados se sirvam certamente não é o modo mais elegante e gentil de servir o café após um almoço ou jantar; é próprio mais para um bufê. O garçom passa com a bandeja e serve a cada convidado, inclusive colocando o açúcar ou outro adoçante na quantidade que ele indicar. A bandeja deve ter um forro de fina qualidade, branco ou colorido. Xícaras pequenas, de porcelana branca ou colorida ou cerâmica (faiança) sobre pires, as colherinhas de café, o açucareiro e o frasco de adoçante junto ao bule completam os apetrechos.
O café, incluído na recepção para um Chá (Fig. 19), comumente é servido em xícaras grandes e misturado com leite, quase nunca tomado puro. Mas o cafezinho como elemento final de um almoço ou jantar não leva creme nem leite, aditivos que anulariam em parte os efeitos esperados do café como próprios para a ocasião. Também não deve ser acompanhado de biscoitos ou doces pelo mesmo motivo, além de que a sobremesa já foi servida.
Tipos de café:
Café-com-leite. Mistura tradicional (caffé-au-lait), servida em xícaras médias ou grandes, que no café da manhã ou como lanche, nos lares e cafés de estrada, é em geral acompanhado de pão francês com manteiga. Servido à mesa, uma leiteira é incluída no serviço do café. A base do Café-com-leite é o Café-de-coador ou o Café-expresso.
Café-pingado. Café com leite escuro; leva pouco leite. A base é o Café-de-coador, o Café-longo ou o Café-carioca.
Café-curto. Obtido de máquina com menor quantidade de água, é mais espesso, o que faz dele um potente estimulante psíquico; é também muito calórico por exigir maior quantidade de açúcar. O mesmo que Café-expresso.
Café-carioca. Tem o corpo do Café-longo, porém servido em xícara pequena (demitasse). Obtido de máquina, é um Expresso mais diluído em água e menos concentrado.
Café-expresso. Café fortemente concentrado, obtido de máquina, servido em pequena xícara. O mesmo que Café-curto.
Café-longo. Café obtido de máquina, menos forte que o Curto ou Expresso, para ser tomado em xícara de maior capacidade (média), com acompanhamento de comestíveis, como no café da manhã.
Cafezinho. Café-de-coador mais forte e incorpado, ou o Café-expresso,  tomado em pequena quantidade, servido em uma meia xícara (demitasse). O cafezinho é servido ao final da refeição acompanhado de licores, e isto não é apenas um costume, mas uma finalização útil para a boa digestão do almoço ou jantar.
CapuccinoReúne ao café expresso o leite, pouco chocolate em pó, canela e cobertura de chantilly, e açúcar. Graças a esses potentes nutrientes, além de estimulante psíquico, o capuccino também é fonte de calorias. Consiste no café expresso acrescido de leite quente encimado por uma capa de espuma de leite ou de chantili, e um pouco de pó de canela ou de chocolate em pó como decoração, servido em xícara de louça. O que o distingue do café-com-leite é conter menos leite, e ser coberto pela espuma produzida no leite frio quando este é aquecido rapidamente no bico de vapor da máquina de café. A espuma pode ser substituída pelo creme chantili. Esta capa serve de isolante para manter alto o calor da bebida. Geralmente é tomado sem acompanhamento de outros alimentos. Não é tomado no café da manhã, nem ao fim de uma refeição. V. Tb. Chantili
Mocaccino: também chamado Café Moca, é uma variação do cappuccino, com menos leite e acrescido de chocolate, coberto com creme de Chantilly. Para prepará-lo, coloca-se chocolate em pó na xícara e sobre este derrama-se café puro. Adiciona-se leite quente espumante, ou leite quente com uma camada de chantili (V.p.f.), como no cappuccino. Na superfície espalha-se um pouco de chocolate em pó ou escamas de chocolate como decoração.
Marocchino: deriva do cappuccino (e por isso não se diz “café marocchino” mas apenas “marocchino”). Coloca-se pó de chocolate em uma taça de vidro transparente, despeja-se primeiro o leite espumante, e sobre este o café (ordem inversa do cappuccino). O vidro permite ver camadas diferentemente coloridas da bebida. Acredita-se que o nome vem da cor semelhante à coloração da pele dos habitantes de Marrocos
Café Moca ou Mocaccino: é uma variação do Capucccino, com menos leite e muito chocolate em pó, coberto com creme de chantilly.
Café-e-licores. O licor e o cognac compõem com o café o grupo de bebidas adequadas a completar a refeição. Algumas pessoas gostam de adoçar seu cafezinho com licor. Por isso é conveniente que os licores estejam já visíveis e à disposição dos convidados em um aparador, apesar de que serão servidos após o café. O convidado pode pedir para repetir o cafezinho – o que, porém, contraria a moderação aconselhada devido à forte estimulação do café concentrado –, mas não se espera que ele peça leite ou qualquer outro aditivo para seu café, além dos adoçantes ou possivelmente, de um pouco de licor.
Café-continental. A designação é dada em função do acompanhamento. No continente europeu a preferência era por um café mais simples pela manhã, puro, ou com creme ou leite, acompanhado apenas de pão francês ou pão de forma, ou de torradas; e geléia, manteiga e suco, que ficou por isso conhecido como “Continental”, em contraste com o café-inglês (no Brasil o Café-colonial) de acompanhamento mais abundante e variado.
Café-Colonial. Modo de servir o café que se distingue pelos comestíveis do acompanhamento. É certamente o café inglês, que desde os tempos coloniais ficou como um hábito matinal brasileiro, trazido pelos portugueses. É precedido de fatias de frutas e sucos de frutas, e servido com leite, pão, manteiga, marmelada, mel, queijo, ovos quentes ou mexidos, e bacon, cereais no leite, presunto ou salsichas, bolos e biscoitos. A mesa é aparelhada com a cafeteira, a leiteira, açucareiro, xícaras e pires, colherinhas de café, pratos de sobremesa, garfo e faca, e as pinças e colheres de servir, guardanapos, etc.Variações regionais introduzem o cuscus (do fr.  couscous), a macaxeira, mel de engenho, e outros complementos comestíveis.Ovos quentes são um acompanhante do café da manhã que demanda a observação de algumas normas de Boas-maneiras. Pelo fato de serem com muita frequência oferecidos em várias regiões, no Brasil e na Europa, é recomendável que as pessoas saibam dos cuidados para tomá-los, para evitarem deslizes embaraçosos. V.p.f. Como se come..

*

Adoçante. Poucas pessoas tomam café sem adicionar açúcar ou um adoçante artificial. Falar dos benefícios e malefícios do café exige, por isso, dar igual tratamento a esse aditivo praticamente indispensável. O adoçante mundialmente preferido é o açúcar. Ele causa prazer por estimular a liberação do neurotransmissores no sistema nervoso, e contribui assim para intensificar o efeito agradável e estimulante do café e do chá. Pode ser substituído, para os que precisam evitá-lo, por um adoçante artificial.

A substituição do açúcar por adoçante, no entanto, sofre restrições com base em achados de pesquisas médicas. O único adoçante artificial considerado seguro pela FDA, a Agência americana que fiscaliza produtos consumidos pela população nos Estados Unidos, é a Sucralose (Splenda). Ainda assim, fala-se da possibilidade de que cause redução na glândula do timo (esse efeito foi notado em experiências com ratos), com prejuízo para o sistema imunológico do corpo humano, apesar de que esse órgão degenera naturalmente a partir da adolescência.
Benefícios. A cafeína excita as células nervosas, aumenta a excitabilidade e atividade mental, exalta a vivacidade da fantasia, a clareza do raciocínio, a velocidade das associações de idéias. Por isso costumam ser amigos do café escritores e jornalistas, e outros intelectuais de grande atividade psíquica. Pela mesma razão, consumido no desjejum pela manhã, é um estimulante para o trabalho diário. Alguns analgésicos contra a dor de cabeça contêm cafeína (como a antiga Cafespirina), a qual contrai os vasos sangüíneos cuja dilatação é tida como a causa da dor.
Décadas atrás, bem antes da explosão de conhecimentos sobre a química do cérebro e o efeito estimulador ou inibidor das substâncias sobre as sinapses dos neurônios, já eram conhecidas as propriedades estimuladoras e inibidoras de muitos produtos de consumo. Certas de suas substâncias, principalmente a cafeína e a nicotina, foram, de longa data, objeto de experimentos que buscavam a compreensão de como o sistema nervoso era afetado por elas.
Malefícios. Uma pessoa não habituada ao café, quando toma urna xícara desta bebida tem a pressão sangüínea, a freqüência do pulso e a excitabilidade nervosa aumentadas. Os batimentos cardíacos tornam-se mais fortes em virtude de ser mais enérgica a contração cardíaca. Como o músculo cardíaco, também o resto da musculatura tem seu tônus aumentado. Tomado em excesso durante uma reunião de debates, pode ter efeitos desastrosos. Aquelas pessoas mais sensíveis, podem se tornar excessivamente falantes, e seu entusiasmo exagerado ao expor suas idéias fazer que sejam objeto de gracejos. O excitamento pode mesmo levá-las à fúria contra os seus oponentes e a atingir um estado tão incontrolável, e ter suas funções orgânicas tão perturbadas que se torne necessário um socorro de emergência para serem acalmadas e tratadas de hipertensão arterial.Passado esse feito, manifesta-se o conseqüente cansaço, irritação e desânimo.
É necessário o tomador de café deixar passar uns trinta dias sem prová-lo, para  desacostumar seu organismo da bebida, e então sentir de modo claro os seus efeitos sobre sua personalidade. Um consumidor habitual de café, mediante este teste, verá que suas costumeiras oscilações de humor – ora entusiasmado e cheio de energia, propenso à hilaridade e à conversa prolixa, ora desanimado, sem vontade de conversar, beirando a depressão, – são pura e simplesmente efeitos dos “cafezinhos” tomados várias vezes ao dia. Além de afastar o sono, causar perturbações do ritmo cardíaco e fazer subir a pressão sangüínea, possivelmente causaria contrações do útero aumentando o risco de aborto espontâneo em mulheres mais sensíveis à sua ação.  
Café-solúvel. Produto do café em que os elementos solúveis em água quente são extraídos dos grãos e o líquido obtido é seco por evaporação deixando o pó solúvel, ou passa pelo processo de liofilização no qual o líquido é congelado e em seguida o conteúdo de água da solução gelada é vaporizado sob pressão, deixando o resíduo sólido que é pulverizado. É servido à mesa em um recipiente fechado (pode ser o próprio vidro da embalagem) para evitar que absorva umidade, junto a uma garrafa de água quente.
Café-de-coador. Café feito com café moído depositado em um coador de pano ou papel poroso, no qual se derrama água fervendo. É geralmente o café doméstico, fraco ou forte conforme a relação das quantidades de água e pó.
Café-descafeinado. Os inconvenientes da forte atuação da cafeína do café levaram seus produtores a criar o “café descafeinado”, que passou a ser a preferência de muitas pessoas mais sensíveis às propriedades estimulantes daquela substância. Para ter essa qualidade o café precisa perder pelo menos 97 por cento da cafeína.
Os vários processos de descafeinização mais antigos (tradicionais) compreendem três etapas principais: a) extração da cafeína e do sabor do café com água; b) tratamento do líquido com um solvente que em seguida é eliminado por aquecimento, em combinação com a cafeína; c) devolução do líquido aos grãos do café, que reabsorvem o sabor, e em seguida são secos. A variação entre os processos está no solvente utilizado. Há o que usa  acetato de etila, uma substância que é comum em várias frutas, e por isso é considerado um solvente natural, sem perigo para a saúde. Porém, os solventes de maior eficácia, o cloreto de metileno e o tricloroetileno, por exemplo, revelaram-se extremamente perigosos para a saúde. Devido à inevitável contaminação do café com os resíduos do solvente, é necessária uma quarta etapa de purificação dos grãos, nunca suficientemente segura. Há, porém, processos descobertos mais recentemente na Suíça que usam o carvão ativado ou o carbono para eliminar a cafeína do líquido sem afetar o sabor. No que usa dióxido de carbono (CO2) como solvente, este gás é impregnado nos grãos por pressão (sem a fase da água). Voltando à pressão ambiente, o gás evapora combinado com a cafeína (lixiviação dos grãos). Por ser um processo seguro, não é necessária a etapa adicional para purificação dos grãos.
As embalagens dos descafeinados no Brasil não dizem qual o solvente utilizado, nem qual o químico profissional responsável, o que faz temer que seja o pior de todos os processos. O Ministério da Agricultura deveria exigir a indicação do método de fabrico, e o Ministério da Saúde obrigar os fabricantes a fazerem constar das embalagens um alerta sobre os perigos dos solventes que empregam, tal como exige alertas de saúde nas carteiras de cigarros. Para se evitar os males que resultam do excesso de consumo de cafeína, quando não se pode contar com café que seja descafeinado através de um processo seguro, talvez seja mais avisado que se tome o café natural, porém com menos freqüência, ou bastante diluído com água fervente – o “café carioca”–, ou pingado no leite (café-com-leite claro).


8 comentários:

Juliane Gonçalves disse...

Oi flor, beleza?
Obrigada por seguir o Blog!
Estou retribuindo e te seguindo
Beijos

www.ahcuriosa.com

*♡* Jane Dos Anjos *☆* disse...

QUE XIQUEEE... Rebequinha... que bela postagem, ser uma princesa dá muito trabalho... rsrsrsrs... coisas que eu nem sabia, agora eu sei, muito boa!!
Obrigada pela visita, vc é um doce!! Bjs

http://www.artesdosanjos.com.br/

Akemi *uu* disse...

Bequiiinha,cada dia que passa teu Blog fica maiiis.. DIVINO *-*

Bom Trabalho,continue assim..
Beiijos,Akemi (Pirulito ;D )

Serginho Clemente disse...

Oi, Rabgui!

Quanto tempo... [risos]

É o Blog esta fazendo sucesso, hein... GRAÇAS A DEUS!

Beijos e abraços do seu irmazinho que te ama muito!

Sheila Lima disse...

Ótimo post, Rebequinha!!! Me lembrou do filme "Barbie em a Escola de Princesas"... Hehehe...
Desejo tudo de bom para você \o/

Mil Sweetkisses ♥
www.docesonhodemenina.com.br

Larissa disse...

Ameeeeei aqui .
Dá uma passadinha no meu tbm ?!
Se gostar segue se puder ?!
Obrigada Floor '

http://confissoesdagenteporlarissa.blogspot.com.br/

Stephanie disse...

Amiga que post completo rs, estava inspirada mesmo hem, adorei todas as dicas :D
Acho que todo mundo sonha pelo menos com um dia de princesa ne ^^
Tenha um ótimo feriado!!
Beijos

lolaporlola.blogspot.com

Canela Castela disse...

Boa pesquisa vc fez heim amiguinha!
Bem completo este post.
Amei as dicas.
E tbm estou com saudades.
Adoro seu cantinho
Beijos carinhosos
Canela

Postar um comentário

Muito obrigado por comentar em meu blog! Beijos! Rebequinha Clemente!